Especialização em  Agricultura Biodinâmica

Páginas CHÃO e GENTE

Encontre e ofereça Produtos mais ecológicos
e Serviços mais humanos.

Páginas CHÃO e GENTE

Você pode começar por aqui encontrando e oferecendo produtos e serviços condizentes com a regenerabilidade ambiental e social.

especialização em economia associativa

Fóruns Econômicos

Pratique para aprender e aprenda a praticar
interagindo na sua localidade.

Fóruns Econômicos

Formar uma consciência comum em espaço local e virtual para e estabelecer acordos sobre qualidade, quantidade, prazos e preços.

SEJA BEM-VINDO!

Participe da mudança que queremos
ver acontecer em nós mesmos e no mundo!

cursos instituto elo

Através deste PORTAL você encontra os mais variados caminhos para envolver-se com a REGENERABILIDADE ambiental e social.

Leia mais

Área Restrita


Faça LOGIN ou cadastre-se.

Leia mais sobre as formas de participação.   

 

BLOG DO PORTAL

Semiótica no dia a dia

A própria leitura prazerosa deste texto de "Ventuana" - simplesmente copiado de seu Blog "Das Ventanias" - demonstrará que, além do estilo artístico, atual e arejado, têm relação íntima com o tema que ocupa nossas reflexões e pesquisas no Instituto Elo. A Equipe Elo

Alguns anos atrás, tive a oportunidade de participar de várias disciplinas graças ao então doutorado em curso. Uma delas, com o prof. Izidoro Blikstein, foi-me especialmente proveitosa. O tema era a propaganda fascista, e o ponto de observação valia-se das teorias semióticas – aquelas que estudam as maneiras como o homem confere significado àquilo que o rodeia.

Temas caros a Blikstein pulavam em todas as aulas – estereótipo, preconceito, manipulação e muitos outros conceitos foram discutidos à exaustão, contrapostos, conferidos. Maioria esmagadora de alunos judeus, criavam-se discussões acaloradas, apresentavam-se argutas leituras dos pequenos sketches de propaganda nazi, assistiam-se filmes memoráveis - por exemplo, “O julgamento de Nuremberg”, versão a preto e branco com Spencer Tracy e elenco de peso, incluindo Marlene Dietrich.

Desse curso, incorporei à minha bagagem (repertório, na linguagem de Blikstein) um olhar interessado em encontrar nas mensagens à minha volta aquilo que dizem sem parecer dizer – o campo da semiótica ganhou um espaço em mim que eu desconhecia. Interessou-me particularmente o mecanismo que nos faz ser engolidos por informações que nos distorcem a visão, embaçando, delimitando, transvestindo a realidade com as cores que convêm ao emissor. Nós, os receptores, se não estamos atentos, somos abalroados e às vezes não nos recuperamos. Como não há como ter controle sobre o emissor (a não ser que sejamos nós mesmos, é claro), melhor será que se desenvolvam capacidades receptoras, a postos para nos auxiliarem a clarear aquilo que vemos. Com tempo e prática, essas capacidades (espera-se) poderiam tornar-se quase automáticas.

A web acumula uma quantidade imensa de informação, nem sempre verídica, nem sempre nas suas reais proporções. Facilmente se deturpam e propagam falsidades, e facilmente se lhes dá cunho verossímil e respeitável. A democratização da informação que proporciona demanda, por outro lado e a passos largos, o desenvolvimento daquelas capacidades receptoras e de uma forma de estado vigilante, que nos impeça de propagar involuntariamente inverdades, tendências, preconceitos.

A petição que circula na internet sobre um suposto filme, com estreia breve na América do Norte, que mostraria Jesus mantendo relações homossexuais com seus discípulos, serve de exemplo acabado. Pede o email que se assine a petição contra “Corpus Christi”, dizendo que “a omissão é uma forma de aplaudir as aberrações” e que “a paródia repugnante de Jesus” precisa ser contida, através de muitos nomes que impeçam a exibição do filme.

Com um pouco de pesquisa (por desconfiar dos termos da petição), descobre-se que nem esse filme existe, nem existiu nem anda em projeto. Existe uma peça (do mesmo autor dos livretos das peças “Ragtime” e “O beijo da mulher aranha”), e um documentário sobre ela – porém, embora tenha causado certa celeuma, apresenta um personagem de nome Joshua que seria uma “atualização” de Jesus – nasce num bairro degradado de uma cidade do Texas, onde convive com mulheres que apanham do marido, sexo pago e outros.

Essa petição circula há décadas pela web – em 1985, primeira ocorrência de que encontrei registro, acumulou um milhão de assinaturas, só nos Estados Unidos. Gerou protestos do movimento gay, assim como de entidades de defesa da liberdade de expressão. E, a cada cinco ou seis anos, reaparece.

O que me fez procurar informações foram justamente as palavras “aberração” e “repugnante” – sinais de que, no contexto, algo subjaz àquilo que o texto diz dizer. Uma leitura mais atenta alerta para a conexão imediata que se faz entre essas duas palavras e as relações homossexuais (supostamente) mantidas por Jesus com seus discípulos. São as relações homossexuais que se pretendem aberração repugnante.

Nenhum de nós está a salvo do engano, como é óbvio; dependemos do nosso repertório, o que inclui nossas experiências de vida, a religião que professamos (ou não), os livros que lemos e os filmes que vemos, as conversas que temos, as viagens que fazemos e, em muito larga escala, as escolas que frequentamos – escolas que com urgência precisam voltar-se para a construção da observação atenta, do discernimento autônomo e da capacidade de nos fortalecermos solidariamente no encontro com o outro.

ventuana (Ana Vieira Pereira, professora )
Leia mais textos de ventuana no blog: Das Ventanias

  • A Agricultura Biodinâmica e as Abelhas

    Porque elas estão morrendo? Quem conhece um pouco a Agricultura Biodinâmica sabe da importância das abelhas na formação do organismo agropecuário e no âmbito da vida. Rudolf Steiner dedicou-lhes um ciclo inteiro de palestras (publicadas em português...
  • Como a simples concepção de salário pode mudar a sua vida!

    Conhecemos muito bem a superfície do mundo exterior, mas somos pouco práticos e ineficientes em tudo o que diz respeito, entre outros, à economia. Com pequenos exemplos - como neste artigo do economista Udo Herrmannstorfer - é pos...




Assine o nosso informativo:


SEJA BEM-VINDO ao novo site do Grupo Elo!


Estamos ampliando as possibilidades para que você possa participar conosco da mudança que juntos queremos ver acontecer em nós mesmos e no mundo. O tema da REGENERABILIDADE ambiental e social representa a base e o caminho escolhido para a interação com você que pode tornar-se nosso parceiro nessa empreitada.


Em breve você também encontrará aqui formas adicionais de participação. Por enquanto contamos com a sua inscrição como ASSINANTE do nosso Informativo. Assim já podemos manter contato e informá-lo dos conteúdos e atividades que nos inspiram e motivam. (Fórum Econômico-Associativo, Produtos e Serviços cada vez mais humanizados e ecológicos, Mobilização de Capacidades, Parcerias etc.) Obrigado pelo iteresse e paciência diante das páginas ainda em construção.


O Grupo Elo
www.elo.org.br

DMC Firewall is developed by Dean Marshall Consultancy Ltd